Agosto dourado: campanha para empoderar famílias e incentivar a amamentação

Dicas Cindi para o inverno
31 de julho de 2019
Dia do Cardiologista
14 de agosto de 2019

A Campanha Agosto Dourado neste ano de 2019 promove a amamentação no Brasil com base no slogan “Empoderar mães e pais, favorecer a amamentação: hoje e para o futuro!”. O objetivo é conscientizar pais e familiares sobre seu papel no apoio à prática do aleitamento materno, criando um ambiente que permita a mãe manter a amamentação como fonte exclusiva de nutrição nos primeiros seis meses de vida e como fonte complementar até os dois anos de idade. A campanha será realizada no mesmo mês em que é celebrada a Semana Mundial do Aleitamento Materno (SMAM), de 1º a 7 de agosto. A SMAM é promovida anualmente pela Aliança Mundial para Ação em Aleitamento Materno (Waba, na sigla em inglês), a Organização Mundial da Saúde (OMS) e o Fundo das Nações Unidas para a Infância (Unicef) em mais de 170 países.   

Toda mãe que está amamentando precisa contar com uma rede de apoio. “Antes, o foco era dar toda a informação para a mãe, mas hoje sabemos da importância de envolver as famílias; o pai precisa saber dos limites que a mulher pode ter, por exemplo, o quanto o estresse influencia nos hormônios e na produção e descida do leite. A rede de apoio da mãe deve ter ciência que essa mãe pode ser envolvida por uma série de sentimentos, como achar que não vai dar conta de alimentar seu filho somente com o seu leite”, comentou. “Por isso a importância desta rede de apoio, que deve oferecer conforto e segurança. O apoio vem através do companheiro, da família, dos vizinhos, dos colegas de trabalho e dos profissionais da saúde envolvidos, fazendo com que a mãe saiba a quem pode recorrer para tirar dúvidas, ser orientada e apoiada. Ela pode contar com a Atenção Básica e o Banco de Leite Humano para se empoderar e se sentir confiante para amamentar”.

Duas coisas são fundamentais para incentivar o aleitamento materno: informação e apoio. “Só a informação não é suficiente. A rede próxima à mãe deve apoiá-la e se colocar no lugar dela. Sempre é apresentado que amamentar é uma questão fisiológica, que a mulher vai colocar o bebê no peito e tudo vai transcorrer naturalmente, mas nem sempre assim. São vários fatores que contribuem para o sucesso da amamentação, e o principal é que a mulher se sinta confiante, apoiada e capaz de amamentar”.

Segundo a OMS, o aleitamento materno é a maneira ideal de fornecer às crianças os nutrientes que elas necessitam para um desenvolvimento saudável. Por isso, é considerado um dos melhores investimentos para salvar vidas e melhorar a saúde e o desenvolvimento social e econômico de indivíduos e nações. Ainda com relação ao tema da campanha, a importância das políticas públicas inclusivas no empoderamento para incentivar a amamentação. “Atualmente, o Brasil conta com políticas inclusivas na área de aleitamento humano, para além da licença-maternidade e a licença-paternidade. Desde 2008, o Programa Empresa Cidadã estende tal licença em até seis meses, período indicado pela OMS para o aleitamento materno exclusivo, mas, infelizmente, este projeto ainda não alcançou 100% das empresas em nosso país”, comentou. “Outras políticas que favorecem a amamentação, como a Iniciativa Hospital Amigo da Criança (IHAC), os Bancos de Leite Humano (BLHs), a Unidade Básica Amiga da Amamentação (Iubam), a Rede Amamenta e Alimenta, e Mulher Trabalhadora que Amamenta permitem que a informação e os locais de apoio estejam próximos à mãe e às suas famílias, a fim de facilitar que a amamentação ocorra da forma exclusiva recomendada”.




Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

× Como podemos te ajudar?